sexta-feira, 22 de abril de 2016

BELA, RECATADA E DO LAR

Não é porque se deixe alegremente enrabar,
que caia, levante e novamente caia,
entre putas, bêbados e toda a miúda raia,
que ela não seja bela, recatada e do lar.
Que vá feliz e sestrosa de bar em bar,
que não negue a ninguém o que pedem para dar,
que ela, com a calcinha no rego enfiada,
não seja bela, do lar e recatada.
Que desaforo algum para casa não leve,
já que nem tudo pode ser justo e decente,
mormente o que a secular moral prescreve,
tudo o que não se pode ver num lupanar,
a inveja, o medo, a violência permanente,
sobre as que são belas, recatadas e do lar.